1917

1917 é o mais recente filme de Sam Mendes e considerado um dos mais fortes candidatos ao triunfo nos Oscars dentro de menos de um mês. Baseado em histórias contadas pelo avô de Mendes, que foi um mensageiro do exército britânico na Primeira Grande Guerra, 1917 prometia muito, em especial com o genial Roger Deakins como responsável pela fotografia do filme. E os prémios que foi acumulando, bem como os elogios generalizados da crítica faziam abrir o apetite. Foi com alguma antecipação que fui ao cinema ver 1917, portanto. Seria correspondida ou sairia desiludido? Continue reading “1917”

Wonder Woman

Wonder Woman é o mais recente filme do DC Extended Universe, sucedendo ao divisivo Man of Steel e aos muito mal recebidos Batman v Superman: Dawn of Justice e Suicide Squad. Partindo para o filme, já estava a par do sucesso crítico, com a esmagadora maioria das opiniões acerca de Wonder Woman a ser positiva, portanto foi com uma expectativa alta que entrei na sala de cinema, o que nem sempre é benéfico. Através dos trailers, o tom do filme parecia claramente mais consentâneo com aquele utilizado pelos filmes da Marvel e não pelos seus antecessores no DCEU, onde o humor é quase ausente e mal se vislumbra um sorriso sadio. Seria esse o segredo para a onda positiva atrás do filme? Seria o facto de termos perante nós uma protagonista do género feminino e não do género masculino pela primeira vez em muito tempo (e todas as experiências anteriores tinham sido desastrosas, como Catwoman e Elektra)? E acima de tudo, será que a minha opinião iria ser coincidente com a da crítica especializada? Continue reading “Wonder Woman”