Westworld – Season 3

(Esta review contém alguns spoilers ligeiros para quem não viu as temporadas anteriores)

Westworld, uma das séries com maior potencial para preencher o nicho deixado por Game of Thrones na HBO está de volta com a sua terceira temporada. Mas como é que Westworld continuaria Continue lendo “Westworld – Season 3”

Devs

Alex Garland, o realizador e argumentista de dois dos mais interessantes filmes de ficção científica dos últimos anos (Ex Machina e Annihilation) está de regresso. Mas desta vez, Garland não nos traz um filme, mas sim uma série, ou se quisermos ser mais precisos, uma minissérie. Continue lendo “Devs”

Better Call Saul – Season 5

(Esta review contém ligeiros spoilers para as temporadas anteriores de Better Call Saul e também para Breaking Bad. Serão usados o mínimo possível e com o objectivo de contextualizar a review, especialmente em termos cronológicos e das personagens que são comuns a ambas as séries, ou exclusivas de Better Call Saul)

Temporada após temporada, Breaking Bad foi, ao contrário da esmagadora maioria das séries, ganhando cada vez mais força até à apoteótica temporada final, a quinta.

No preciso momento em que Better Call Saul completa o mesmo número de temporadas da série-mãe, cinco, seria que Vince Gilligan iria manter a sua capacidade para aumentar a intensidade e qualidade ao longo das séries que dirige Continue lendo “Better Call Saul – Season 5”

The Plot Against America

Os co-autores de uma das séries mais aclamadas da história, The Wire, estão de volta. A nova proposta que a dupla formada por David Simon e Ed Burns nos trazia adaptava uma obra de Philip Roth, um dos autores mais influentes da literatura norte-americana dos últimos cinquenta anos ao pequeno ecrã, no formato de minissérie. Seriam Simon e Burns capazes de reeditar o sucesso de The Wire (e outras obras), ou estaria a dupla a perder parte da magia, em especial ao correrem alguns riscos ao enveredarem pela primeira vez pela via da adaptação do argumento em vez de o fazerem de raiz como em obras anteriores? Continue lendo “The Plot Against America”

The Outsider

E eis que nos chega mais uma adaptação de uma obra do prolífico Stephen King, desta feita em formato de mini-série, com o selo de qualidade da HBO. The Outsider é o nome dessa aposta mais recente da HBO e o seu elenco prometia, contando com nomes como Ben Mendelsohn, Cynthia Erivo e Jason Bateman. Para além disso, os trailers prometiam um cheirinho a True Detective, mas com a mão do famoso escritor norte-americano, mais conhecido pelos seus romances de terror. A HBO raramente desaponta, mas o que sairia daqui? Continue lendo “The Outsider”

Mr. Robot – Season 4

(A seguinte review contém alguns spoilers mínimos para as três primeiras temporadas de Mr. Robot, de modo a poder contextualizar o ponto onde nos encontramos no início da terceira temporada, sendo recomendado o visionamento da série desde o início na íntegra antes de avançar com a leitura)

Chegou a hora do adeus para uma das séries mais fascinantes da última década. Mr. Robot chega ao seu término na quarta temporada, cumprindo o desejo que eu tinha deixado no final da review à temporada anterior para que não se alongasse em demasia. Continue lendo “Mr. Robot – Season 4”

Watchmen (2019)

Em 1987, Alan Moore e Dave Gibbons completavam um dos momentos mais marcantes da história dos comics, Watchmen. Amoral e existencialista, a obra escrita por Moore assentava principalmente na desconstrução da figura do super-herói, assinalando uma viragem no mundo dos comics, rumo a uma maturidade nunca antes vista (algo que também teve o contributo de Frank Miller e o seu tratamento de Batman, quase contemporaneamente). Duas décadas depois, Zack Snyder adaptou, de forma razoavelmente fiel, a obra ao cinema. Moderadamente bem recebida por fãs e críticos, a versão cinematográfica de Snyder pecava por alguns pecados de casting (em especial com Ozymandias e Silk Spectre II), mas brilhava no campo dos efeitos especiais e da estética. Continue lendo “Watchmen (2019)”

El Camino: A Breaking Bad Movie

Uma das melhores séries de sempre teve o seu final há seis anos. No dia 29 de Setembro de 2013, Breaking Bad chegava ao seu termo. Seguiu-se a igualmente excelente prequela Better Call Saul, cuja quinta temporada estreia em 2020. Mas Vince Gilligan, o criador de ambas as séries, sentia que faltava algo, um epílogo para Breaking Bad e, em especial, para o personagem Jesse Pinkman. E depois de passar anos a matutar nessa ideia e de muitos rumores ao longo desse tempo, eis que El Camino vê a luz do dia. Mas como seria o regresso de Pinkman após tanto tempo longe dos olhares do público? Seria um filme de puro fan service ou um filme capaz de se aguentar por si só, um pouco à imagem de Better Call Saul o é, mas com o benefício de ser uma série com mais tempo para desenvolver as suas ideias? Continue lendo “El Camino: A Breaking Bad Movie”

The Handmaid’s Tale – Season Three

Caso se recordem de como acabei a review para a segunda temporada de The Handmaid’s Tale tinha ficado intrigado acerca do modo como iria a equipa de argumentistas descalçar a bota da situação criada no último episódio. Seria plausível a sequência da história de June e a sua luta para reunir a sua família, enquanto escapa às garras de Gilead? Ou começariam finalmente os argumentos a cair de qualidade e a suspensão de descrença passaria a entrar em acção numa das melhores séries dos últimos anos? Continue lendo “The Handmaid’s Tale – Season Three”

Stranger Things – Season 3

Em 2016, a Netflix descobriu que tinha ouro nas suas mãos quando lançou Stranger Things, uma série que capitalizava as suas forças numa estética fiel aos anos 80 (algo muito em voga na altura em que se comemoram quase trinta anos sobre o fim dessa década formativa na infância e adolescência de muitos, eu incluído) e num enredo em tudo similar a obras de autores como as de Stephen King, Steven Spielberg e John Carpenter. Mas o maior segredo revelado com Stranger Things foi a performance que lançou a jovem (tinha apenas 11 anos quando a série foi rodada) Millie Bobby Brown para o estrelato (ou assim se espera) e ressuscitou a carreira de Winona Ryder, para além da revelação tardia do talento de David Harbour, isto aliado a um elenco juvenil talentoso e um suspense muito bem gerido ao longo da temporada, que se devorou rapidamente. Seguiu-se uma temporada claramente mais fraca e os criadores queixaram-se de ter feito tudo em cima do joelho. Continue lendo “Stranger Things – Season 3”