Star Wars: The Rise of Skywalker

Se bem se recordam, fui das poucas pessoas que gostou de The Last Jedi em 2017. Mas nunca duvidei por um momento que as razões pelas quais muitos odeiam o filme (e eu apreciei), nomeadamente as múltiplas e controversas alterações que certas personagens sofrem, bem como o facto de algumas das escolhas tomadas por Rian Johnson serem extremamente drásticas e irreversíveis. Já nessa altura se antevia que J. J. Abrams teria uma tarefa hercúlea pela frente de modo a fazer um filme que ainda fizesse sentido depois de The Last Jedi… e este era o problema primário… O problema secundário, mas não menos importante, foi o modo como a maior parte dos fãs de Star Wars quase renegaram o filme de Rian Johnson, colocando a Disney, na figura da controversa Kathleen Kennedy e também Abrams, entre a espada e a parede. Como fazer um filme simultaneamente com lógica, mas seguro, sem poder apagar o desvio de rota que Johnson tinha efectuado em The Last Jedi? Como fechar uma trilogia com sucesso? Seria o nono filme da saga Skywalker um presente envenenado? Continue reading “Star Wars: The Rise of Skywalker”

Overlord

Com produção do ubíquo J. J. Abrams e realização do quase estreante Julius Avery, Overlord prometia uma atmosfera de filme série B, mas com um orçamento bem acima do típico para esse subgénero de filmes. Depois de uns trailers que não me impressionaram, foi com alguma surpresa que vi que a recepção ao filme estava a ser, no geral, positiva. Indeciso entre ver Overlord ou The Girl in the Spider’s Web resolvi dar uma chance ao que tinha tido melhores reviews. Valeu a pena a minha opção? Continue reading “Overlord”

The Cloverfield Paradox

E eis que chega o terceiro filme da saga Cloverfield, mais uma vez com uma promoção a primar pela originalidade e efeito de surpresa. Desde os trailers durante o mais recente Super Bowl até ao facto de ser anunciado nos mesmos que o filme iria ser transmitido exclusivamente no Netflix após o final do jogo, passando pelo fascínio que os seus enigmáticos antecessores tinham gerado em muitas pessoas, tudo contribuiu para potenciar ao máximo o interesse no filme, intitulado The Cloverfield Paradox (título apenas revelado no dia em que estreou). A campanha dizia também que Paradox iria revelar o que estava na génese dos acontecimentos dos filmes anteriores, especialmente do Cloverfield original de 2008. Enfim, tinha tudo para resultar… mas será que foi bem sucedido? Continue reading “The Cloverfield Paradox”