Birds of Prey

Quase quatro anos após o lançamento do criticamente mal recebido Suicide Squad, eis que surge uma sequela. Mas a polémica estava à espreita.

Apesar de contar com a personagem mais popular de Suicide Squad (Harley Quinn) como protagonista, Birds of Prey prometia lançar a divisão nos espectadores sob vários aspectos, sendo o mais flagrante o assumido foco num elenco maioritariamente feminino. Que público-alvo pretenderia então atingir Birds of Prey, tendo em conta que boa parte dos leitores (e espectadores) de comics são do sexo masculino? Os trailers não me tinham parecido nada promissores, mas as notas e boas críticas começaram a aparecer, para minha surpresa, despertando um interesse que até então não tinha tido no filme. E foram-se acumulando e acumulando… até que chegou a hora de ver o filme. Continue reading “Birds of Prey”

Aquaman

Um ano após o desastre que foi Justice League, Aquaman, o sexto filme do DC Extended Universe era o filme decisivo para a Warner Brothers em relação ao futuro do universo partilhado da DC. O meu pessimismo era grande, até porque até agora nenhum filme tinha feito exactamente o clique para mim, mesmo os mais bem recebidos como Wonder Woman ou Man of Steel, mas também porque os trailers, um dos quais uma cena completa do filme que decorre no Sahara, não me tinham dito nada, o humor parecia forçado e o filme construía aparentemente os seus alicerces nos atractivos físicos de Jason Momoa (e Amber Heard), bem como num festival de imagens geradas por computador. Para além disso, não tinha ficado particularmente impressionado com o personagem em Justice League, que parecia pouco mais que um surfista cool. Então começaram a chegar as primeiras reviews e fiquei surpreendido por ver que em geral eram positivas… De mente um pouco mais aberta, lá parti eu à aventura. Continue reading “Aquaman”

Justice League

O mais recente filme do DC Extended Universe (DCEU) está nos cinemas, sucedendo ao extremamente bem recebido Wonder Woman de Patty Jenkins. Justice League propunha-se fazer aquilo que a Marvel fez com os The Avengers, mas sem ter de passar por uma série de prequelas, para nos introduzir a personagens como Flash, Cyborg e Aquaman, unindo-as aos já apresentados Batman, Superman e Wonder Woman, para formarem o grupo de super-heróis mais famoso da DC Comics. A ideia era já de si ousada, mas quando se soube de outras duas coisas ainda passou a parecer mais louca: o realizador de Man of Steel e Batman v Superman: Dawn of Justice, Zack Snyder, retirou-se da realização do filme, devido (supostamente) ao suicídio da sua filha, deixando o filme nas mãos do realizador de… Avengers (Joss Whedon) e, mais recentemente, veio a público que o filme iria ter menos quarenta (!) minutos em relação ao seu corte original, ficando abaixo das duas horas (alegadamente porque filmes mais curtos permitem maior número de sessões). O cenário de desgraça parecia pender novamente sobre as cabeças dos executivos e mentes por detrás do DCEU. Teríamos um retrocesso, após o passo positivo que Wonder Woman tinha sido? Continue reading “Justice League”

Wonder Woman

Wonder Woman é o mais recente filme do DC Extended Universe, sucedendo ao divisivo Man of Steel e aos muito mal recebidos Batman v Superman: Dawn of Justice e Suicide Squad. Partindo para o filme, já estava a par do sucesso crítico, com a esmagadora maioria das opiniões acerca de Wonder Woman a ser positiva, portanto foi com uma expectativa alta que entrei na sala de cinema, o que nem sempre é benéfico. Através dos trailers, o tom do filme parecia claramente mais consentâneo com aquele utilizado pelos filmes da Marvel e não pelos seus antecessores no DCEU, onde o humor é quase ausente e mal se vislumbra um sorriso sadio. Seria esse o segredo para a onda positiva atrás do filme? Seria o facto de termos perante nós uma protagonista do género feminino e não do género masculino pela primeira vez em muito tempo (e todas as experiências anteriores tinham sido desastrosas, como Catwoman e Elektra)? E acima de tudo, será que a minha opinião iria ser coincidente com a da crítica especializada? Continue reading “Wonder Woman”

Suicide Squad

E eis que chega a vez de eu avaliar um dos filmes mais polarizantes dos últimos tempos entre críticos profissionais e espectadores (ainda mais que X-Men Apocalypse e Batman v. Superman: Dawn of Justice). Os críticos, regra geral, odiaram o filme; os espectadores, regra geral, gostaram do filme. Em que campo me situarei eu? Continue reading “Suicide Squad”