Watchmen (2019)

Em 1987, Alan Moore e Dave Gibbons completavam um dos momentos mais marcantes da história dos comics, Watchmen. Amoral e existencialista, a obra escrita por Moore assentava principalmente na desconstrução da figura do super-herói, assinalando uma viragem no mundo dos comics, rumo a uma maturidade nunca antes vista (algo que também teve o contributo de Frank Miller e o seu tratamento de Batman, quase contemporaneamente). Duas décadas depois, Zack Snyder adaptou, de forma razoavelmente fiel, a obra ao cinema. Moderadamente bem recebida por fãs e críticos, a versão cinematográfica de Snyder pecava por alguns pecados de casting (em especial com Ozymandias e Silk Spectre II), mas brilhava no campo dos efeitos especiais e da estética. Continue reading “Watchmen (2019)”

Suicide Squad

E eis que chega a vez de eu avaliar um dos filmes mais polarizantes dos últimos tempos entre críticos profissionais e espectadores (ainda mais que X-Men Apocalypse e Batman v. Superman: Dawn of Justice). Os críticos, regra geral, odiaram o filme; os espectadores, regra geral, gostaram do filme. Em que campo me situarei eu? Continue reading “Suicide Squad”