Terminator: Dark Fate

Terminator 2: Judgement Day é provavelmente um dos filmes mais marcantes da minha adolescência. Judgement Day foi uma sequela praticamente perfeita para o filme que lançou James Cameron para a ribalta, o inovador misto de ficção científica e acção Terminator, de 1984, conseguindo mesmo superar o filme original, na minha opinião, tendo ao leme um Cameron já mais maduro e seguro de si… Mas depois a franchise começou a encalhar. Continue reading “Terminator: Dark Fate”

El Camino: A Breaking Bad Movie

Uma das melhores séries de sempre teve o seu final há seis anos. No dia 29 de Setembro de 2013, Breaking Bad chegava ao seu termo. Seguiu-se a igualmente excelente prequela Better Call Saul, cuja quinta temporada estreia em 2020. Mas Vince Gilligan, o criador de ambas as séries, sentia que faltava algo, um epílogo para Breaking Bad e, em especial, para o personagem Jesse Pinkman. E depois de passar anos a matutar nessa ideia e de muitos rumores ao longo desse tempo, eis que El Camino vê a luz do dia. Mas como seria o regresso de Pinkman após tanto tempo longe dos olhares do público? Seria um filme de puro fan service ou um filme capaz de se aguentar por si só, um pouco à imagem de Better Call Saul o é, mas com o benefício de ser uma série com mais tempo para desenvolver as suas ideias? Continue reading “El Camino: A Breaking Bad Movie”

Joker

Quando anunciaram um novo Joker, o meu primeiro pensamento foi um óbvio “MAIS UM?”. Pior ainda, estaria nas mãos de Todd Phillips… Sim, o realizador da trilogia The Hangover, entre muitas outras comédias. Uma nota positiva, no entanto, era a notícia de que seria o talentoso Joaquin Phoenix a interpretar o antagonista de Batman. Apesar deste pró e deste contra, a versão de Joaquin Phoenix seria a terceira a ser oferecida pela DC e Warner Bros. em pouco mais de uma década, mas superaria a aclamada versão de Heath Ledger que lhe granjearia um Oscar póstumo? Continue reading “Joker”

Midsommar

Num regresso bastante rápido após o sucesso surpresa que teve em 2018 com Hereditary, o promissor Ari Aster regressa com Midsommar. Estaria a sua segunda longa-metragem à altura da primeira, que eu apreciei bastante, ou seria um passo em falso para Aster? Os trailers transmitiam um misto de estranheza e beleza, mas nada de alarmantemente assustador… Assim foi com curiosidade (e expectativa), que me dirigi ao cinema mais próximo para ver um filme que já aguardava para ver há uns meses (enorme desfasamento em relação aos cinemas norte-americanos). Continue reading “Midsommar”

Ad Astra

Tem-se tornado nos últimos anos uma tradição de Hollywood lançar um filme na segunda metade do ano de ficção científica (ou no caso de First Man, um filme que passa boa parte do tempo no espaço) com um orçamento razoável, tendo também em comum na sua maioria orçamentos impressionantes e até candidaturas a prémios. Ad Astra é o filme de 2019 que preenche esse nicho. James Gray, o realizador que deu o salto para a fama com Little Odessa em 1994 e que mais recentemente lançou o biopic The Lost City of Z, tinha nas suas mãos o enorme projecto, o seu primeiro de ficção científica, tendo escolhido como protagonista um nome sonante, Brad Pitt. Os trailers tinham impressionado visualmente, mas ainda mais impressionantes foram os elogios da crítica, por exemplo no festival de Cannes. Foi por isso, e não só, que eu próprio cumpri a minha tradição anual de ver estes filmes no tamanho que merecem, um cinema IMAX. Mas saí da sala de acordo com a crítica? Continue reading “Ad Astra”

It Chapter Two

Aproximadamente dois anos após o bem sucedido lançamento de It para as salas de cinema, eis que o segundo e derradeiro capítulo do épico de terror de Stephen King encontra a luz do dia. Uma vez mais com Andy Muschietti ao leme, It mantinha o elenco juvenil e acrescentava nomes famosos ao elenco adulto (Jessica Chastain, James McAvoy, Bill Hader), aumentando também em muito a escala da história ao ter uma duração de praticamente três horas, algo muito invulgar em filmes de terror, mas que se coadunava ao enorme livro de King. O primeiro capítulo tinha apresentado divergências consideráveis em relação ao material de base… que versão da história teríamos agora? O sucesso seria o mesmo? Continue reading “It Chapter Two”

The Handmaid’s Tale – Season Three

Caso se recordem de como acabei a review para a segunda temporada de The Handmaid’s Tale tinha ficado intrigado acerca do modo como iria a equipa de argumentistas descalçar a bota da situação criada no último episódio. Seria plausível a sequência da história de June e a sua luta para reunir a sua família, enquanto escapa às garras de Gilead? Ou começariam finalmente os argumentos a cair de qualidade e a suspensão de descrença passaria a entrar em acção numa das melhores séries dos últimos anos? Continue reading “The Handmaid’s Tale – Season Three”