Stranger Things – Season 3

Em 2016, a Netflix descobriu que tinha ouro nas suas mãos quando lançou Stranger Things, uma série que capitalizava as suas forças numa estética fiel aos anos 80 (algo muito em voga na altura em que se comemoram quase trinta anos sobre o fim dessa década formativa na infância e adolescência de muitos, eu incluído) e num enredo em tudo similar a obras de autores como as de Stephen King, Steven Spielberg e John Carpenter. Mas o maior segredo revelado com Stranger Things foi a performance que lançou a jovem (tinha apenas 11 anos quando a série foi rodada) Millie Bobby Brown para o estrelato (ou assim se espera) e ressuscitou a carreira de Winona Ryder, para além da revelação tardia do talento de David Harbour, isto aliado a um elenco juvenil talentoso e um suspense muito bem gerido ao longo da temporada, que se devorou rapidamente. Seguiu-se uma temporada claramente mais fraca e os criadores queixaram-se de ter feito tudo em cima do joelho. Continue reading “Stranger Things – Season 3”

American Gods – Season 2

(A review que se segue tem ligeiros spoilers para a primeira temporada da série)

Dois anos após a bem recebida primeira temporada, eis que temos o regresso de American Gods. Mas o interregno de dois anos entre as temporadas foi pautado por uma tempestade nos bastidores da série, com desentendimentos entre os criadores da série (Bryan Fuller e Michael Greene) e os produtores da mesma, que fizeram cortes importantes a nível de orçamento, obrigando Fuller e Greene a baterem com a porta, levando consigo uma das melhores protagonistas, Gillian Anderson. Com uma equipa reunida quase de emergência, composta pelo autor do livro em que a série se baseia (Neil Gaiman) e dois dos produtores (Chris Byrne e Lisa Kussner), a série seguiu em frente, aos soluços. Seriam notórios os problemas de bastidores, numa série da qual adorei a primeira temporada, apesar de ligeiras imperfeições e baseada num dos melhores livros de Gaiman, ou seria mantido o nível, independentemente do drama externo à série? Continue reading “American Gods – Season 2”

Godzilla: King of the Monsters

Sucedendo a Godzilla de 2014 e King Kong: Skull Island de 2017, Godzilla: King of the Monsters é o terceiro filme do MonsterVerse da Warner Bros. e Legendary Pictures. Com génese no Japão após a 2ª guerra mundial e as bombas nucleares que devastaram Hiroshima e Nagasaki, o universo de Godzilla sempre criou fascínio em mim, mas o filme que primeiro tentou conquistar os países ocidentais nos anos 90 foi um fracasso completo que deturpou a origem da criatura. Continue reading “Godzilla: King of the Monsters”

Chernobyl

Na ressaca de um péssimo final para a série porta-estandarte da HBO, Game of Thrones, eis que surge uma nova e brilhante luz no céu para o canal norte-americano, mesmo a tempo de tirar o travo amargo que a temporada final de Game of Thrones nos deixou na boca. E, por falar em boca, foi por andar nas bocas do mundo que Chernobyl acabou por me despertar o interesse. As reviews elogiosas dispararam pelo tecto quase tão brutalmente como as peças do reactor 4 de Chernobyl romperam o tecto da central nuclear e, junto com a boa recepção por vários espectadores, levaram a que eu dedicasse o meu tempo a ver esta mini-série de apenas cinco episódios, que não tinha inicialmente qualquer interesse em ver. Valeria a pena? Estaria de acordo com a maioria ou seria do contra? Continue reading “Chernobyl”

John Wick: Chapter 3 – Parabellum

John Wick regressa para o terceiro capítulo das suas aventuras cinematográficas com Parabellum, mantendo praticamente a mesma equipa do segundo filme da agora trilogia. Mas será que a saga de filmes mais bem sucedida para o veterano Keanu Reeves desde The Matrix continuaria a manter o vapor dos dois primeiros capítulos?

Depois de ter sido Continue reading “John Wick: Chapter 3 – Parabellum”

Game of Thrones – Season 8

(Esta review contém spoilers para as temporadas anteriores de Game of Thrones, sendo recomendado o visionamento da série até à sétima temporada antes de ler a review que se segue)

Quando George R. R. Martin começou a escrever a sua famosa saga “A Song of Ice and Fire” em 1996, certamente não imaginava as proporções e popularidade que atingiria, em especial depois da bem sucedida adaptação televisiva por David Benioff e D. B. Weiss que teve o seu início em 2011. O sucesso foi quase autofágico para Martin, que parece bloqueado a dois livros do fim da saga, com a legião de fãs da sua obra em suspenso há anos, aguardando o lançamento de The Winds of Winter. E, apesar de terem algumas pistas do próprio Martin acerca dos pontos essenciais que a sua saga irá seguir, a dupla Benioff e Weiss estava progressivamente a fugir àquilo que tornava os livros de Martin e as primeiras temporadas tão boas, a intriga política e a imprevisibilidade, com uma claríssima quebra em qualidade na sétima temporada.

Teriam os fãs de livros e série o final desejado ao fim de mais de duas décadas de teorias mais ou menos rebuscadas acerca de um leque de personagens fascinante, capazes das maiores paixões e ódios, que deixarão a sua marca na vida de muitos? Ou seria a derradeira temporada de uma das mais populares, faladas e pirateadas séries da história um colossal fracasso e desilusão? Continue reading “Game of Thrones – Season 8”

The Walking Dead – Season 9

(A seguinte review contém spoilers mínimos, para quem não leu os comics ou não viu a série até ao final da temporada anterior)

E aí está mais uma temporada de uma série que por vezes se assemelha, infelizmente, a uma telenovela com zombies à mistura, neste caso a nona! E os produtores já prometem que a série pode arrastar-se (palavra usada intencionalmente) durante muito mais tempo, para além de existirem planos para ainda mais spin-off (para além do já existente e recentemente avaliado aqui, Fear the Walking Dead) e até filmes. Mas estariam a pôr os produtores a carroça à frente dos bois? Não dependeria tudo isso de uma (finalmente) boa temporada na série? O maior ingrediente para esta nona temporada aguçar os apetites seria a introdução dos temíveis e notórios vilões dos comics cujo arco se segue ao de Negan, os Whisperers. Mas seria o suficiente para travar uma queda em audiências e a nível crítico que se vem acentuando a cada temporada que passa? Continue reading “The Walking Dead – Season 9”